O que é open banking e como isso mudará o mercado financeiro

Você já imaginou realizar transações de todas as suas contas bancárias em apenas um aplicativo?

Ou então escolher um produto de investimento ou previdência como escolhe um produto no supermercado, podendo comparar itens de diferentes marcas e fabricantes, em um único local?

Essa é uma das realidades possíveis com o Open Banking. Essa tecnologia permite a integração de dados entre diferentes sistemas, como bancos e fintechs, de forma mais automatizada e segura.

Isso porque os bancos podem controlar quais são os dados que os aplicativos terceiros terão acesso. Se for necessário digitar uma senha, poderá ser feito em uma tela do próprio banco, garantindo que o terceiro não terá acesso a ela, mas receberá as informações das quais precisa.

A expectativa é que essa tecnologia seja regulamentada no Brasil ainda neste ano, pelo Banco Central.

Thiago Alvarez, fundador e CEO da fintech de gestão financeira Guiabolso, traça um paralelo do potencial do open banking a um supermercado, no qual podemos escolher produtos de diferentes marcas em apenas um local.

A prioridade passa a ser o produto que mais se adequa às necessidades do cliente, deixando de priorizar a fidelidade que ele já possui com uma instituição financeira qualquer.

Com o compartilhamento de dados, a vantagem da instituição financeira única cai, porque todos atores do mercado terão acesso ao histórico do cliente – se é um bom pagador, por exemplo – e oferecerão taxas mais adequadas ao perfil de cada pessoa, mesmo sem o cliente nunca ter feito negócios com a instituição antes.

Recentemente, o Guiabolso realizou uma parceria com o Banco Original via open banking. Agora, clientes do banco poderão ter suas finanças analisadas pela fintech, mas o Guiabolso não possui acesso às suas senhas.

Além disso, o Guiabolso passou a recomendar produtos do Banco Original. A expectativa é que iniciativas semelhantes sejam adotadas por outras instituições. Esse é só o começo do que parece ser o futuro do sistema bancário.

Fonte: Tainá Freitas — Repórter StartSe