Como ajudar sua equipe a superar os desafios emocionais causados pela crise

Neste artigo, vamos falar sobre algumas das situações mais comuns neste momento e também sobre ideias práticas para colocar em ação hoje mesmo.

Nas últimas semanas, um tema não sai das nossas preocupações, em diferentes áreas: a pandemia de COVID-19.

E não é apenas pelo risco à saúde física que corremos. Estamos lidando com um cenário muito mais complexo do que isso, que envolve uma crise econômica ainda difícil de ser calculada e a situação atípica do isolamento social.

Passamos pelo momento mais desafiador da nossa sociedade nos últimos anos, mas sem a possibilidade de estar fisicamente perto de quem amamos, estar ao ar livre para recuperar as energias, ou fazer muitas das nossas atividades de lazer preferidas.

Além do mais, dormimos e acordamos com incertezas: até quando o isolamento irá durar? Será que eu ou alguém da minha família vai ficar doente? Será que vou conseguir manter minha empresa ou meu emprego além deste período?

Diante de tudo isso, é essencial falar sobre um assunto ainda delicado na área de vendas, a saúde mental.

Não podemos negar que todos nós estamos convivendo com importantes desafios emocionais. E, se você é gestor de uma equipe, é sua responsabilidade cuidar do estado emocional dos seus vendedores nesse período também.

Neste artigo, vamos falar sobre algumas das situações mais comuns neste momento e também sobre ideias práticas para colocar em ação hoje mesmo.

Vamos lá?

Quais são os principais desafios emocionais enfrentados por profissionais durante esta crise?

Para que consiga ajudar a sua equipe a passar por esse momento delicado, lidando melhor com todos os desafios emocionais que temos sentido, é interessante que primeiro consiga identificar quais são.

Desta maneira, será capaz de auxiliar seus colaboradores a buscarem ajuda para evitar que eles evoluam para transtornos mais graves.

Listamos os principais abaixo:

Estresse elevado

Estresse tem sido um dos maiores desafios que os profissionais enfrentam neste momento, especialmente os de áreas mais afetadas pela crise.
E o estresse excessivo pode ser percebido a partir de sintomas como:

  • irritabilidade;
  • tristeza;
  • insônia;
  • alteração no apetite e no peso;
  • falta de concentração;
  • dores de cabeça.

Medo da morte e luto

Outra questão emocional que estamos lidando neste momento está relacionada à ansiedade e ao medo da morte (própria ou de algum familiar) e também, em casos mais graves, o luto.

Por isso, é muito importante monitorar com seus colaboradores estão se prevenindo conforme as recomendações, se estão bem de saúde e como estão também as pessoas próximas a eles.

O risco maior é que, em alguns casos, esse medo possa evoluir para um quadro emocional mais grave.

Ansiedade frente ao futuro

Já somos uma sociedade naturalmente ansiosa. Com a crise da COVID-19 e o isolamento social, certamente isso se acentuou.

Temos um cenário de receio de perder o emprego, de perder a renda, entre outros fatores. Somado a isso, há toda a dificuldade de se adaptar a uma nova rotina, trabalhando em casa e sem nossas atividades sociais.

Assim como o estresse, a ansiedade pode resultar em sintomas físicos ou mentais, sendo os principais:

  • irritabilidade;
  • hipervigilância;
  • pensamento acelerado;
  • pensamentos indesejados;
  • náusea;
  • suor;
  • falta de concentração;
  • problemas para dormir.

Intensificação de questões que já existiam

É importante saber, por fim, que todo esse cenário de isolamento e incertezas que vivemos deve intensificar quadros que já existiam, como compulsões, vícios, transtornos de ansiedade, depressão, entre outros.

Portanto, como líder, é importante que conheça seu time para ser capaz de identificar qualquer alteração no humor, no cumprimento das tarefas ou no relacionamento com os colegas.

Antes de qualquer julgamento, tente saber se estes não são sintomas de alguma questão mental com a qual ele possa estar convivendo.

Algumas ações que podem ajudar a manter o time mentalmente bem!

Já falamos do contexto atual e demos dicas para identificar quando uma questão emocional possa estar afetando algum de seus colaboradores.

Mas, mais do que remediar, é interessante tentar prevenir que esses desafios evoluam para um quadro mais grave.

E há algumas iniciativas que você pode tomar enquanto líder da equipe. Confira:

Aceitar que a saúde mental é importante – e que a empresa se importa com isso!

Em primeiro lugar, é essencial superar esse tabu em relação à saúde mental. Ela é tão importante quanto a saúde física, especialmente em momentos como o que estamos vivendo.

Em geral, infelizmente, o que encontramos nas empresas é uma desvalorização dos quadros de doença mental, coibindo os profissionais a buscarem ajuda.

Muitos profissionais com problemas emocionais relatam que não se sentem apoiados no ambiente de trabalho a superá-los. Então, vale a pena tentar identificar como é a postura da sua empresa neste sentido e, junto com outras lideranças, buscar um posicionamento alinhado ao que o momento pede.

É válido, inclusive, confirmar se o plano de saúde oferecido provê assistência psicológica entre os benefícios.

Fazer um mapa semanal de como está o time

Diretamente com o time, mesmo em tempos de relacionamento virtual, tente fazer um mapa periódico de como cada membro está lidando com a situação.

E como saber? Além de observar mudanças de comportamento, tenha conversas individuais, preferencialmente semanais, com cada um deles.

Nessas interações, faça perguntas como:

  • Como tem sido a rotina nesses últimos dias? O que você tem feito além do trabalho?
  • Como estão as pessoas na sua casa?
  • Você tem conseguido dormir direito, descansar e ter momentos de lazer?
  • Como tem se sentido?
  • Há alguma maneira que a empresa ou a equipe possa te ajudar a se sentir melhor nesse momento?

Elas podem parecer bastante pessoais, mas, em horas como essas, é importante se aproximar de quem faz parte do seu time.

Realizar atividades em grupo

Além das atividades individuais, planeje também interações com todo o time. Isso é importante para manter o convívio social e a motivação, mesmo que ele aconteça virtualmente.

E essas atividades não precisam ser só as reuniões de acompanhamento. Você pode promover happy hour, dinâmicas de grupo e treinamentos que façam com que as pessoas sejam ouvidas e possam relaxar em meio a uma rotina tão estressante.

Passar informações dentro do limite necessário

Muitos especialistas têm recomendado evitar a sobrecarga de informação neste momento.

O excesso de notícias ruins pode acentuar os quadros de estresse e ansiedade, juntamente com um sentimento de impotência frente à situação.

Por isso, além de recomendar ao time que consuma informação apenas dentro do necessário, tente informá-los sobre a situação da empresa e do mercado. Mas faça isso dentro de um limite que, ao mesmo tempo passe transparência, mas não gere preocupações excessivas.

Revisar metas e flexibilizar cobranças

Muitas empresas já estão revisando seu planejamento para 2020, mesmo que a gente ainda não consiga medir exatamente o tamanho da crise. Se a sua ainda não reviu as metas para o ano, é interessante começar a fazê-lo.

Cobrar os colaboradores em relação a resultados que não serão alcançados com a crise econômica pode acelerar ainda mais os desafios emocionais. Por isso, procure manter suas metas dentro de um cenário realista.

Incentivar uma rotina

Ter uma rotina bem estruturada é importante para dar sensação de normalidade durante a quarentena.

Então, tente ajudar seu time a montar a sua. O estilo de trabalho mudou, portanto eles precisam se reorganizar para cumprir as atividades profissionais. E, além disso, também cuidar da casa, fazer exercícios, ter momentos de lazer.

Apenas lembre-se, é interessante apoiar nesta construção, mas sem demonstrar um desejo de controle do dia a dia do funcionário.

Recomendar ajuda especializada

É preciso saber que em situações mais avançadas quanto à saúde mental, você não terá conhecimento e habilidades para ajudar seu colaborador. Existem profissionais especializados em atendimento psicológico e psiquiátrico e seu papel é apoiar seu funcionário na busca por esse suporte.

Inclusive, neste cenário de pandemia, existem muitos profissionais oferecendo auxílio com preços mais acessíveis. Tente encontrar algum na sua cidade ou região que possa recomendar aos seus colaboradores!

Como liderança, cuidar também da sua saúde mental

Por fim, não adianta nada cuidar da saúde mental dos colaboradores se não cuidar da sua como líder do time.

Cuidando bem de você, será capaz de realmente identificar com clareza como cada membro da equipe está. Além disso, evitará “descontar” sua ansiedade e seu estresse nos profissionais quando estiver em um momento de maior pressão.

Busque apoio em outros líderes da empresa e ajuda especializada também!

Empatia é a palavra do momento!

Temos visto muito nas conversas e nos conteúdos sobre o momento o foco na empatia. E não é por acaso. Para lidar com um momento tão desafiador para todos, é preciso ter essa habilidade de se colocar no lugar do outro muito mais aguçada.

E assim que conseguiremos ser melhores líderes em um cenário que precisa tanto de nós!


Fonte